Carregando...

Resultado do 2º trimestre

Segue abaixo a data prevista para o resultado do 2º trimestre das principais empresas negociadas na Bovespa:


Empresa
Papel
Data
Ambev
AMBV4
11/08/2011
Banco do Brasil
BBAS3
09/08/2011
Bradesco
BBDC3/BBDC4
Divulgado
Brasil Foods
BRFS3
11/08/2011
BM&F Bovespa
BVMF3
09/08/2011
Cielo
CIEL3
Divulgado
Cyrela
CYRE3
11/08/2011
Gerdau
GGBR4/GGBR3/GOAU3/GOAU4
04/08/2011
Hypermarcas
HYPE3
15/08/2011
Itaú
ITSA3/ITSA4/ITUB3/ITUB4
02/08/2011
Lojas Renner
LREN3
15/08/2011
MRV Engenharia
MRVE3
09/08/20111
OGX Petroleo
OGXP3
10/08/2011
PDG Reality
PDGR3
Prévia divulgada
Petrbrás
PETR3/PETR4
12/08/2011
Redecard
RDCD3
Divulgado
Santander
SANB11
Divulgado
Vale
VALE3/VALE5
Divulgado

Venda em OGXP3

 Depois da última recomendação de venda  por análise gráfica em BVMF3, gerando um lucro de 8,37% em apenas 4 dias, decidi seguir a mesma metodologia para análise de outro ativo: OGXP3. Dessa vez em um prazo mais longo, utlizando o gráfico semanal.
Analisando o gráfico semanal percebemos um rompimento de suporte, com volume, em 13,23. LTB, MMEs e MACD confirmam a tendência baixista. Reforço que está analise é para médio prazo, e não curto prazo.

Para quem gosta de comprar seguro, a OGXPI13 está com o preço mais acessivo até o momento, fechando em 0,83, strike em 13,00.

Aproveitando o tópico, convido a vocês que verifiquem as postagens desse mês, confirmando os 100% de êxito nos comentários. Apesar de todos estarmos sujeito a erros, reafirmo a veracidade e a evolução do blog. 

Venda com seguro - BVMF

Um papel que segue a tendência do Ibovespa é o BVMF3. Com notícias negativas e mercado pessimísta nada melhor do que operações vendidas. Com segurança, melhor ainda. Para tanto, gosto de adquirir opções de compra coberto.  BVMFH10 oferece uma boa relação custo x proteção, hoje fechou a 0,27. Seu strike é de 9,92, o que gera uma perda máxima (levando em conta o custo do seguro) de 0,34 ou 3,45% de acordo com o fechamento de hoje.
Gráfico diário BVMF3 em tendência baixista.

E o Brasil?

Recentemente as notícias negativas na Zona do Euro e dos EUA tomou conta dos meios de comunicação. Crise na Grécia e Irlanda; situação financeira ruim de Portugal, Espanha e Itália; e preocupações com o teto da dívida americana que deixaram investidores receiosos aos investimentos de alto risco. Até mesmo o megainvestidor Geoge Soros se pronunciou: "Ainda não estamos saindo da tempestade, na verdade, estamos entrando nela".

Por um lado estamos fora da zona de crise, o foco da preocupação é com países desenvolvidos. Isso aumenta a expectativas dos países emergentes, principalmente os chamados Brics(Brasil, Rússia, India, Rússia). Dentre esses países, o ponto positivo é que o Brasil é o único com democracia de fato. Fora a possível alavancagem que estamos sujeitos após a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

O outro lado da moeda é que o Brasil é o 2º maior investidor em títulos da dívida dos EUA. A moeda cada vez mais forte pode diminuir exportações e aumentar as importações, além de se tornar um país caro(São Paulo já é a 10ª cidade mais cara para estrangeiros, Rio de Janeiro é 12º), reduzindo as receitas com turistas. O Ibovespa continua em tendência de queda mantendo-se em patamar sobrevendido(podendo ter uma breve alta de correção a qualquer momento).

Então....
E o Brasil?

Notícias relacionadas:
FMI alerta para consequências globais da crise da Europa.
São Paulo é a 10ª cidade mais cara do mundo para estrangeiros.
Brasil é o 2º maior investidor em títulos da dívida dos EUA.
Para George Soros, crise financeira está longe do fim.